Pessoas são mais importantes do que economia, diz Papa Francisco sobre pandemia

0
480

Durante discurso neste domingo (31), o Papa Francisco saiu do texto previsto e afirmou que pessoas são mais importantes do que a economia, em um momento em que países decidem como vão retomar atividades após as restrições adotadas para tentar evitar a dissminação do novo coronavírus.

“Curar as pessoas, não poupar (dinheiro) para ajudar a economia (é importante), curar as pessoas, que são mais importantes do que a economia”, disse o Papa.

A fala do pontífice foi a primeira em três meses feita de sua janela para a Praça de São Pedro, no Vaticano, conforme o isolamento da Itália chega ao fim.

Papa dá benção da janela neste domingo (31) no Vaticano — Foto: Alessandra Tarantino/AP

Papa dá benção da janela neste domingo (31) no Vaticano — Foto: Alessandra Tarantino/AP

“Nós, pessoas, somos templos do Espírito Santo, a economia não”, completou.

As palavras do Papa foram recebidos com aplausos de centenas de pessoas na praça, muitas usando máscaras e mantendo vários metros de distância umas das outras. A praça havia sido reaberta ao público no domingo passado (24). Normalmente, dezenas de milhares de pessoas vão à praça aos domingos.

A última vez que o Papa se dirigu aos fiéis da janela na Praça de São Pedro foi no dia 1º de março, antes de a Itália impor a quarentena. As últimas restrições terão fim na quarta-feira (3), segundo a Reuters. Mais de 33 mil pessoas morreram em território italiano por causa da Covid-19, terceiro maior número do mundo até este domingo (31).

Indígenas da Amazônia

14 de maio: membros da comunidade indígena Parque das Tribos choram ao lado do caixão do chefe Messias, que morreu vítima da Covid-19 em Manaus. — Foto: Michael Dantas/AFP

14 de maio: membros da comunidade indígena Parque das Tribos choram ao lado do caixão do chefe Messias, que morreu vítima da Covid-19 em Manaus. — Foto: Michael Dantas/AFP

O Papa também manifestou preocupação com os povos indígenas da Amazônia. Ele relembrou o sínodo da Amazônia, em outubro do ano passado, enquanto pedia aos fiéis que “invoquem o Espírito Santo de forma que Ele possa dar luz e força à Igreja e à sociedade na região amazônica, extremamente afligidas pela pandemia de Covid-19”.

O pontífice rezou por “aqueles mais pobres e aqueles que não têm defesas” na Amazônia e em outras regiões do mundo. “E eu rogo para que não lhes falte cuidado em saúde”, disse Francisco.

G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui