Pesquisa mostra que empresários do RN estão otimistas com economia em 2020

0
214
A expectativa de receita dos empresários natalenses é 84% melhor do que em 2019, segundo apontou uma pesquisa com 60 líderes empresariais, realizada durante o almoço do LIDE RN – Grupo de Líderes Empresariais do Rio Grande do Norte -, na terça-feira (18), no Marechal Restaurante.
O evento contou com a palestra do secretário de Tributação do Estado, Carlos Eduardo Xavier: ‘Tributação como instrumento de incentivo econômico! Projeções para 2020’. Este foi o primeiro “termômetro empresarial” da série que será gerada durante os encontros empresariais do LIDE.

Ainda de acordo com o ‘termômetro’ do LIDE RN, elaborado em parceria com a consultoria Radar Nordeste, 71% dos empresários presentes no almoço apostam em uma situação melhor dos negócios neste início de 2020, enquanto 76% disseram pretender empregar mais do que no ano passado. Para 55%, a carga tributária foi apontada como o fator que mais impede o crescimento; 34% atribui ao cenário político.

Educação, Infraestrutura, política, saúde e segurança são as áreas em que o Brasil precisa melhorar, conforme revelou a pesquisa. Em nível de Brasil, Educação (39%) e Infraestrutura (34%) são os setores que merecem maior atenção.

Já em relação ao Rio Grande do Norte, a maior preocupação é com Infraestrutura (32%) e segurança (29%). Os governos, Federal, Estadual e Municipal, foram avaliados como bom/regular por 53% dos líderes empresariais entrevistados e 71% estão otimistas em relação ao futuro da economia do Brasil.

Palestra Tributação

Durante o almoço, o secretário de Tributação, Carlos Eduardo Xavier, expôs as bases principais e possibilidades de ajustes na previdência estadual. E com o intuito de retomar a competitividade do estado, combater a sonegação fiscal, a concorrência desleal e melhorar o atendimento ao público, o secretário de Tributação apresentou alguns números e ações do Governo do RN.

Alguns incentivos fiscais foram citados por ele, como: o PROEDI, os benefícios criados para o setor de Camarão, o fomento para a cadeia de carne e a redução do ICMS do querosene de avião (QAV).

Fonte: Portal Grande Ponto

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui