Polícia investiga se mototaxista levou neta de Flordelis para jogar celular de suspeito no mar após morte

89

Um mototaxista da Região Oceânica de Niterói foi conduzido, por volta das 15h desta quarta-feira, para prestar depoimento na Delegacia de Homicídios de Niterói e São Gonçalo, dentro da investigação sobre a morte do pastor Anderson do Carmo. A polícia teve a informação de que o rapaz levou uma neta da deputada federal Flordelis até a Praia de Piratininga, onde a jovem jogou um celular no mar.

A praia fica a cerca de oito quilômetros da casa da família, em Pendotiba, Niterói. A ação teria ocorrido no último dia 18, mesma data em que equipes da DH vasculharam a casa onde ocorreu o crime.

A polícia investiga se o celular pertencia a Flávio dos Santos, filho do casal que está preso pela morte do padrasto. O mototaxista chegou à delegacia numa viatura descaracterizada e prestou depoimento.

Polícia cumpre mandado de busca e apreensão na casa da deputada Flordelis
Polícia cumpre mandado de busca e apreensão na casa da deputada Flordelis Foto: Antonio Scorza

A neta suspeita de jogar o celular no mar jpá foi ouvida pela polícia. Na última segunda-feira, a DH apreendeu 20 celulares de pessoas que estavam na casa da deputada federal Flordelis (PSD). Em um dos aparelhos, a polícia descobriu que o telefone do pastor Anderson do Carmo, marido de Flordelis foi usado horas depois de sua morte. Mensagens com pedidos de orações e dizendo “infelizmente as notícias são verdades (sic)” foram passadas do celular de Anderson para um grupo de evangélicos no WhatsApp. No texto, a pessoa se identifica como um dos filhos do pastor.

“Meu marido não estava sofrendo nenhum tipo de ameaça”, disse a deputada Foto: MARCELO THEOBALD / Agência O Globo

Celular do pastor continua sumido

O aparelho celular do pastor ainda não foi localizado. Em entrevista coletiva concedida na tarde desta terça-feira, Flordelis afirmou não saber o paradeiro do celular e pediu a quem souber que o entregue. As informações são de que o celular foi entregue a namorada de um dos filhos, que ficou de entregá-lo à Flordelis após o assassinato de Anderson do Carmo na madrugada do dia 16 quando ele chegava em casa, em Niterói, na Região Metropolitana do Rio. Depois, o aparelho teria sido repassado para um dos filhos do casal, mas não foi encontrado.

A identificação de quem passou a mensagem usando no celular de Anderson não foi divulgada pela polícia.

Após vazamentos das investigações, a delegada Bárbara Lomba, titular da Delegacia de Homicídios de Niterói e responsável pela apuração do crime, determinou que o caso está sob sigilo.

Os dois filhos do casal, Flávio dos Santos e Lucas dos Santos, permanecem presos na DH de Niterói.