Menina de 18 meses morre após cair da janela de 11º andar em navio de cruzeiro

54

Uma menina de 18 meses caiu do 11º andar de um navio de cruzeiro em Porto Rico porque uma janela estava inexplicavelmente aberta em uma área de recreação infantil, segundo um advogado da família. O acidente aconteceu no domingo (7), quando Chloe Wiegand escorregou dos braços de seu avô e voou por uma janela do navio Freedom of the Seas.

Nesta terça, o advogado Michael Winkleman, que representa a família da criança, esclareceu detalhes e desmentiu a versão inicialmente apresentada pelo porta-voz da autoridade portuária de Porto Rico, José Carmona, de que a família estaria reunida no salão de jantar e o avô teria sentado a menina na beirada de uma janela.

“O avô não derrubou a criança, ela caiu por causa de um vidro aberto que deveria estar fechado de forma segura”, disse o advogado em um comunicado.

“Chloe queria bater na janela como ela sempre fazia. O avô acreditou que havia vidro ali, como existia em todas as outras janelas, mas não havia, e ela se foi em um instante”.

A polícia de Porto Rico não comentou o conteúdo do comunicado de Winkleman.

A família da menina, que mora no estado de Indiana, nos EUA, permaneceu em Porto Rico na terça, aguardando a liberação do corpo. Muito abalados, eles não quiseram falar com a imprensa.

“A família precisa de respostas sobre porque havia uma janela aberta em uma parede cheia de janelas travadas em uma área de recreação infantil. Por que você tinha um perigo desses sem nenhum aviso, alerta ou sinalização?”, questionou o advogado.

A Royal Caribbean Cruise, responsável pelo navio, chamou a morte de Chloe um incidente trágico em um comunicado na segunda-feira e afirmou que estava prestando apoio à família. A companhia não respondeu a um pedido da agência Associated Press para fazer comentários na terça-feira sobre as declarações de Winkleman.

G1