Jovem é morto a tiros e mulher fica ferida com bala perdida, em Cajazeiras

144

Um homicídio foi registrado na noite desta terça-feira (17) no bairro Vila Nova na cidade de Cajazeiras.

De acordo com informações da polícia, a vítima, um jovem identificado como Paulo Henrique foi alvejado com vários tiros e morreu no local.

”As primeiras informações levantadas no local, dão conta que a vítima estava acompanhada de um amigo, de posse de uma moto, momento em que passou, em outra moto dois indivíduos, certamente, perceberam a presença das duas vítimas, retornaram e efetuaram disparos de arma de fogo contra os dois. Paulo Henrique morreu no local, já o seu amigo não sabemos seu paradeiro, nem se foi atingido por algum disparo. Os acusados foragiram do local”, disse o tenente Joserley Oliveira à TV Diário do Sertão.

O local do crime foi isolado para a realização da perícia e logo em seguida o corpo foi encaminhado para o IML de Patos.

No local a polícia apreendeu uma motocicleta e após averiguação foi constatada queixa de roubo na cidade de Sousa.

A Polícia Militar e a Polícia Civil estão realizando diligências para prender os acusados do crime.

“Estamos em diligência para que a gente consiga desvendar este crime”, disse o tenente da Polícia Militar.

Segundo o tenente Joserley Oliveira, uma mulher também foi ferida à bala e foi socorrida para o HRC.

“A jovem foi conduzida pelo SAMU para o Hospital Regional de Cajazeiras, e encontra-se no bloco cirúrgico, de acordo com as primeiras informações ela foi vítima de uma bala perdida”, disse.

De acordo com informações da assessoria de comunicação do HRC a jovem vítima da bala perdida passou por procedimento cirúrgico, segue internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

”A jovem vítima de bala perdida no Bairro Vila Nova, na noite desta quarta-feira (17), acabou de sair do bloco cirúrgico do Hospital Regional de Cajazeiras, segue estável para um leito na UTI.

A mesma passou por um procedimento de Laparotomia exploradora. Mais informações passaremos de acordo com a evolução da paciente”, disse Daniel Oliveira, assessor do hospital.

Diário do Sertão