Homem é preso suspeito de espancar bebês gêmeos até a morte e esfaquear a ex-mulher

4050

Inconformado com o fim do relacionamento, Antônio Ribeiro Barros esfaqueou Thaís no rosto (sua ex-companheira), nas costas e no pescoço e jogou os filhos gêmeos dela, David Luiz e Lucas Felipe, contra a parede. Os dois bebês de 11 meses morreram por volta de quatro horas da manhã, vítimas de traumatismo craniano.

A Polícia Militar foi acionada para atender a ocorrência, a partir de solicitação dos vizinhos. No local, os policiais encontraram Thaís no chão, chorando, sangrando e segurando os bebês. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) foi acionado e os três foram encaminhados ao hospital. No entanto, os bebês não resistiram aos ferimentos e morreram, já Thaís recebeu alta no mesmo dia.

O delegado responsável pelo caso, André Luiz, afirma que o suspeito deve ser indiciado por duplo homicídio qualificado e tentativa de homicídio. O investigador já ouviu a mãe dos bebês. “Ela disse que teve um relacionamento com o rapaz, mas terminou e ele não aceitou a separação dela. A partir daí, ele começou a ameaçá-la. Ela não chegou a procurar a delegacia e solicitar as medidas protetivas da Lei Maria da Penha”, contou.

Após o ataque, o suspeito fugiu. Desde o crime, agentes da PM faziam rondas na região para encontrá-lo. A PM chegou a divulgar imagens do assassino e pedir a colaboração da população para que ele fosse capturado.

PRISÃO DO SUSPEITO 10/08/2016

Antônio Ribeiro Barros, suspeito de esfaquear a ex-namorada Thaís Araújo Oliveira de Paula, e matar dois filhos da vítima, em São Miguel do Araguaia, na madrugada desta segunda-feira (8), pode ser o pai dos gêmeos.

Segundo informações da Rádio Nova Era, em Porangatu, a família informou que havia a possibilidade de o agressor ser o pai das crianças devido ao período que Antônio e Thaís namoraram e que eles fariam o teste de DNA.

“Há possibilidade de que ele seja o pai dessas crianças. A família falava que eles iriam fazer um exame de DNA para comprovar ou não se seriam filhos dele, porque eles teriam um relacionamento, teve um namoro e continuavam ficando, então, são informações preliminares, que vão chegando à Polícia Militar”.

Ele estava escondido em um buraco na fazenda onde trabalhava como vaqueiro. A informação é da Assessoria de Imprensa da Polícia Militar de Goiás (PMGO). Ele foi preso nessa quarta feira, 10 de agosto, foi levado para para a Delegacia de Porangatu e agora deverá ser recambiado para um presídio.

Informações: Diário de Goiás e G1GO