Biro Biro teve uma síncope e foi reanimado no vestiário em treino do Botafogo

80

um mal-estar em campo durante o treino do Botafogo desta terça-feira no Nilton Santos. A primeira informação passada extraoficialmente na Clínica São Vicente tratava de uma parada cardiorrespiratória. Posteriormente, o cardiologista Eduardo Saad, que realizou o procedimento de ablação (cauterização do cateter que causa a arritmia cardíaca) no atleta em 2018, identificou como uma síncope e disse que são necessários mais exames para identificar o que exatamente ocorreu.

O jogador deixou o treino desacordado e amparado pelos companheiros. No vestiário, foi socorrido pelo cardiologista do clube, Eduardo Amorim, que o reanimou sem necessidade do uso de desfibrilador.

O ponta alvinegro foi encaminhado à Clínica São Vicente, na Gávea, onde chegou bem e conversando normalmente. E vai fazer ecocardiograma e mais exames complementares. A última vez que o atacante entrou em campo foi dia 24 de fevereiro, ainda pelo São Paulo. Fez apenas dois jogos pelo Tricolor Paulista.

No ano passado, o jogador corrigiu problema de arritmia cardíaca, que sentiu durante sua passagem pelo futebol chinês. Passou ablação – nome técnico do procedimento – no Rio de Janeiro e voltou a se consultar em maio. O médico carioca que o operou fez laudo o liberando para jogar futebol. O procedimento é o mesmo pelo qual, recentemente, passaram os treinadores Abel Braga e Renato Gaúcho. Todos foram atendidos por Eduardo Saad.

Entrada do hospital no qual está internado Biro Biro  — Foto: Emanuelle Ribeiro

Entrada do hospital no qual está internado Biro Biro — Foto: Emanuelle Ribeiro

Na China, Biro Biro teve pequenas arritmias cardíacas e, em consulta de volta ao Brasil, foi diagnosticado miocardite viral. No São Paulo, neste ano, houve diagnóstico de gastrite nervosa, que o afastou do grupo. O quadro provocava enjoo, tontura e mal-estar.

Em nota, o Botafogo comunicou que Biro Biro está sendo acompanhado pelo médico Ricardo Bastos. “O quadro do atleta é estável e o mesmo passará por exames”, informou o clube.

No hospital, na zona sul, o técnico Eduardo Barroca e o zagueiro argentino Joel Carli foram os primeiros a chegar para visitar o atacante do Botafogo. Mais tarde, o vice-presidente de futebol do Botafogo, Gustavo Noronha, e o diretor de futebol Anderson Barros também chegaram para ver o atleta. O quadro, felizmente, é estável.

G1