Argentina evita drama e se classifica com vitória sobre o Qatar por 2 a 0 na Copa América

59

Acostumada a empurrar a equipe do início ao fim dos jogos, a torcida da Argentina só soltou a voz nas arquibancadas da Arena do Grêmio com a confirmação da vitória sobre o Qatar, por 2 a 0, que veio no segundo gol, de Aguero, para não deixar mais dúvidas sobre a classificação às quartas de final da Copa América.

Em jogo de muitos erros, defensivos e ofensivos, inclusive de Messi, os hermanos construíram a vitória a partir de uma falha defensiva do time adversário, aproveitada por Lautaro Martinez no começo do jogo. Mas o sofrimento durou até o fim, quando o camisa nove fechou o placar.

Com o resultado, a equipe passa em segundo lugar no grupo B, e escapa do Brasil para encarar a Venezuela na próxima fase.

Mas a verdade é que a vaga não esteve na mão facilmente. Embora tenha feito o gol aos 3 minutos, a Argentina perdeu as poucas chances que criou, principalmente com Aguero. Messi isolou uma chance clara no segundo tempo. E viu o time do Qatar criar várias situações e se aproximar de um empate. Em uma delas, Armani evitou gol de cobertura.

Apesar da vitória, a atuação da Argentina não a credencia para uma segunda fase tranquila. Assim como nos dois primeiros jogos, o time de Lionel Scaloni se mostrou desorganizado defensivamente, cometeu uma série de erros infantis, e viu Messi, Aguero e Martinez ficarem isolados para aproveitar as bolas no ataque. Quando recuou para organizar o time, que fez poucas vezes, Messi elevou o nível de criatividade e produziu situações de perigo. Mas o entrosamento do setor ofensivo também não se mostrou dos melhores.

No segundo tempo, a Argentina cresceu um pouco, mas sempre pegou uma defesa bem postada, e um Qatar que não se entregou e agrediu a área adversária diversas vezes. Messi se movimentou mais, conseguiu algumas arrancadas. Quando iniciava as jogadas, porém, e aparecia para completar, seus companheiros não conseguiam raciocinar da mesma forma e lhe devolver a bola. O camisa 10 se irritou algumas vezes. E viu Aguero, em jogada individual, ampliar o placar e dar tranquilidade a Argentina.

A entrada de Dybala no lugar de Martinez deu mais leveza e toque de bola para os argentinos conservarem o placar e a presença no campo de ataque, o que diminuiu os sustos nos minutos finais da partida. Não foi dramático ao fim das contas, mas a Argentina esteve longe de apresentar um futebol vistoso e que bote medo para a sequência da competição. Resta saber se Messi sozinho conseguirá fazer isso daqui para frente.