Antônio Pezão aguenta pressão inicial, mas é nocauteado por Roy Nelson

1260

A amizade entre Antônio Pezão e Roy Nelson foi deixada de lado por alguns minutos, na antepenúltima luta do UFC Brasília, sediado no Ginásio Nilson Nelson, neste sábado. Os pesos-pesados, que são amigos e já treinaram juntos, dividiram o octógono – e o americano levou a melhor ao vencer o anfitrião por nocaute técnico, aos 4m10s do segundo round.

Com quatro derrotas no primeiro round em suas últimas cinco lutas, Pezão aguentou a pressão de Roy Nelson, considerado o dono de uma das mãos mais pesadas da categoria. Embora tenha oferecido pouco perigo enquanto esteve no cage, o brasileiro suportou diversas “bombas” de “Big Country” – até que a potência dos golpes falou mais alto.

Sob risco de demissão, Pezão amarga três derrotas consecutivos, enquanto Roy Nelson se recupera do revés sofrido contra Derrick Lewis, cujo resultado gerou polêmica, em julho deste ano.

– No primeiro round você vai tentando se soltar, e no segundo é quando você encaixa mais. Ele é meu amigo, não quero machucá-lo – declarou Nelson, que criticou a interrupção tardia do árbitro John McCarthy, a quem dirigiu um gesto obsceno e acertou um chute logo que o fim do embate foi decretado.