Adeus ano velho! De olho em mais ultrapassagens, F1 muda em 2019; confira novidades para temporada

391

A nova geração de carros da Fórmula 1 já passou por uma série de modificações desde que foi introduzida em 2014. Se no ano passado os carros ficaram mais largos, com rodas maiores, nesta temporada o Halo passou a ser obrigatório nas máquinas da categoria. Sempre em movimento e em busca de mais ultrapassagens nas corridas, a F1 mudará de novo em 2019.

E na despedida de 2018 para receber o novo ano que se aproxima, as principais alterações são técnicas, como as asas dianteiras, traseiras, dutos de freio e carenagem lateral; luvas biométricas, um novo modelo de capacete e mais combustível para os pilotos poderem acelerar por mais tempo são novidades que também passam a valer a partir da temporada que vem.

Mas a categoria também terá mudanças no campo desportivo, como um atualizado sistema de punições para os pilotos que excedam o limite de peças de motor usadas por ano, novas regras para o safety car e novo sistema de pesagem para piloto e carro.

Novas asas para voar mais longe

As mudanças no regulamento para a próxima temporada da Fórmula 1 prometem permitir que os carros andem mais próximos durante as corridas, garante a Federação Internacional de Automobilismo (FIA). Com asas dianteiras maiores e mais simples, asas traseiras mais largas e fundas e outars mudanças menores, as estimativas da entidade são de que seja reduzida em até um terço a perda de pressão aerodinâmica para o carro de trás durante uma disputa na pista, o que proporcionaria mais proximidade entre os pilotos e, consequentemente, mais brigas e ultrapassagens.

Pelo novo regulamento, as asas dianteira e traseira terão suas dimensões alteradas e a configuração simplificada para que o ar direcionado ao carro de trás fique “menos sujo” e permita que os rivas que vem atrás possam seguir os carros mais de perto, proporcionando mais chances de ultrapassagens. Outras partes que sofrerão mudanças são os defletores laterais (bargeboards) – e o sistema de asa móvel (DRS) que ficará maior, diminuindo ainda mais o arrasto quando aberto.